otto's war room banner

otto's war room banner

Friday, January 29, 2010

Brazil authorities harass those who stand up for the rights of poor farmers

The government of Brazil has allowed the arrest and suppression of the Poor Farmers League, an left-wing organizing group for that countries campasinos. This is a Google translation:

CHASE AND ARREST POLICY AGAINST SUPPORTERS OF POOR FARMERS LEAGUE CONTINUES
January 25, 2010
After 8 days in jail, under sub-human conditions in an old warehouse chain Mango, no bathroom, without the minimum conditions that a person needs to maintain its integrity and its physical and mental health, a partner Flavia was transferred to jail Montalvânia during the night of Friday, the 22/01, without the knowledge of the lawyer and even the family. Since the evening of January 16, when they returned from the country in Jaíba, where they plant castor bean, corn and beans fellow Wanderson Antonio and Flavia Avelina, are arrested on charges of illegal weapons possession, taken to jail Manga. The partners, counsel of the League of Poor Peasants of North and South of Minas Bahia work in supporting the literacy work of Youth and Adults in the field and in the organization of training courses of the movement. The companions are well known in the region. Recently received threats, including death and then the moment they are apprehended, charged that way. On Friday, with the request for provisional release and the criminal in his hand, which indicates that offenders are and have a fixed address, Judge of the city, requested additional documents that do not relate to the case, as a condition to evaluate the request freedom. This has a clear intention to postpone the release of peers and to gain time to try to incriminate them, an attitude that is repeated with the people who are poor and social fighters. Later, the decision was passed to the judge on duty, who has not yet ruled on the case and is also asking for other documents, thus maintaining a political imprisonment and arbitrary. The militant peasant movement has faced a siege and persecution by landowners and their armed gangs and by legal and repressive apparatus of the state. That all costs to criminalize the struggle for land, threats, harassment, slander and all manner of accusations in order to stop the struggle for land, and tax as a criminal anyone who participates in and supports the fight. This proves once again that it serves the bourgeois and landowner, chasing and holding peasants fighting for a piece of land and those who fight for a true and new democracy. The League of Poor Peasants comes to public outrage and denounce every act of criminality, trivialization, demoralization and persecutions that the state is requiring the peasant movement in general, and the peasants and supporters of the militant peasant struggle in particular. As an example of persecution is the case of fellow Wilson, President of the Association of Rural Workers Settlement Santa Rita. What was arrested and interrogated in a truculent, or psychological torture by transferring the seat of the settlement to conduct a Training Course for Teachers to work in the areas of movement. And also the companion case of Jerome Gomes, who was arrested at his home and questioned for 3 hours on the same charges unfounded and absurd. Blame the state for everything that comes to happen against the two partners and against any farmer or partner sympathizer and supporter of the peasant struggle for the destruction of the estate. We call upon the working people and all democrats, citizens of good, honest and progressive intellectuals to support and defend those comrades who are fighting for true democracy! Immediate release of fellow prisoners! Long live the Agrarian Revolution! The people want land and not repression! Poor Peasants League of Northern Minas Gerais and southern Bahia

The original:

Perseguição e prisão política contra apoiadores da Liga dos Camponeses Pobres continua
25 de Janeiro de 2010

Depois de 8 dias presa, sob condições sub humanas, num depósito velho da cadeia de Manga, sem banheiro, sem as mínimas condições que uma pessoa precisa para manter sua integridade e sua saúde física e mental, a companheira Flávia foi transferida para a cadeia de Montalvania durante a noite de sexta-feira dia 22/01, sem o conhecimento do advogado e nem mesmo da família.

Desde a noite de 16 de janeiro, quando voltavam da roça em Jaíba, onde plantam mamona, milho e feijão os companheiros Wanderson Antonio e Flávia Avelina, estão presos, acusados de porte ilegal de arma, levados para a cadeia de Manga.

Os companheiros, assessores da Liga dos Camponeses Pobres do Norte de Minas e Sul da Bahia atuam no apoio ao trabalho de alfabetização de Jovens e Adultos no campo e na organização dos cursos de formação do movimento. Os companheiros são muito conhecidos na região. Recentemente receberam ameaças, inclusive de morte e logo nesse momento são presos, acusados dessa forma.

Na sexta-feira, com o Pedido de Liberdade Provisória e os antecedentes criminais na mão, onde consta que são réus primários e possuem residência fixa, a Juíza da cidade, pediu documentos extras que não se referem ao caso, como condição de avaliar o pedido de liberdade.

Isto tem uma clara intenção de adiar a libertação dos companheiros e de ganhar tempo para tentar incriminá-los, numa atitude que se repete com as pessoas que são pobres e com lutadores sociais. Mais tarde, a decisão foi passada para o Juiz de plantão, que ainda não decidiu sobre o caso e também está pedindo outros documentos, mantendo dessa forma uma prisão política e arbitrária.

O movimento camponês combativo tem enfrentado um cerco e perseguições por parte do latifúndio e seus bandos armados e pelo aparelho jurídico e repressivo do Estado. Que a todo custo tentam criminalizar a luta pela terra, com ameaças, perseguições, calunias e toda sorte de acusações, no intuito de barrar a luta pela terra, e taxar de criminoso qualquer um que participe e apóie a luta.

O que comprova mais uma vez a quem serve esse Estado burguês e latifundiário, que persegue e prende os camponeses que lutam pela conquista da terra e aqueles que lutam por uma verdadeira e nova democracia.

A Liga dos Camponeses Pobres vem à publico REPUDIAR e DENUNCIAR toda à ação de criminalização, banalização, desmoralização e perseguições que o Estado vem impondo ao movimento camponês de uma forma geral, bem como aos camponeses e apoiadores da luta camponesa combativa em particular.

Como exemplo dessa perseguição é caso do companheiro Wilson, Presidente da Associação dos Trabalhadores Rurais do Assentamento Santa Rita. Que foi preso e interrogado de forma truculenta, sob tortura psicológica, por ter cedido a sede do assentamento para a realização de um Curso de Formação de Professores para atuar nas áreas do movimento. E também o caso do companheiro Gerônimo Gomes, que foi detido em sua casa e interrogado durante 3 horas sob as mesmas acusações infundadas e absurdas.

Responsabilizamos o Estado por tudo o que vier à acontecer contra os dois companheiros e contra qualquer outro camponês ou companheiro simpatizante e apoiador da luta camponesa pela destruição do latifúndio. Convocamos ao povo trabalhador e a todos os democratas, cidadãos de bem, progressistas e intelectuais honestos a apoiarem e defenderem esses companheiros que lutam por uma verdadeira democracia!

Liberdade imediata para os companheiros presos!
Viva a Revolução Agrária!
O povo quer terra e não repressão!

Liga dos Camponeses Pobres do Norte de Minas e Sul da Bahia



1 comment:

Anonymous said...

Solar eneragy is the future for the planet.
[url=http://www.solarcourses.org/]solar courses[/url]